» » » Igrejas mudam rito tradicional por prevenção contra gripe no Vale do Paraíba

Foto: Diocese de Taubaté/ Divulgação                                    
Os padres e diáconos de 97 paróquias do Vale do Paraíba, no interior de São Paulo, estão sendo orientados a mudar alguns rituais tradicionais em suas celebrações para proteger os fiéis contra a gripe.
A região registrou nove mortes pelo vírus influenza este ano e o risco de contrair a doença é maior durante o inverno. As saudações de paz durante as missas, que incluem abraços e apertos de mão, e as orações de mãos dadas estão suspensas. Celebrantes e ministros da eucaristia foram orientados a não dar a hóstia diretamente na boca dos comungantes.
Conforme o bispo da Diocese de São José dos Campos, dom Cesar Teixeira, as medidas valerão até o fim do inverno em todas as 46 paróquias da região. No comunicado divulgado nas igrejas, ele afirma que as orientações visam a colaborar com os órgãos de saúde pública na prevenção contra a transmissão da gripe H1N1 e suas variantes, além de outras moléstias infecciosas de inverno. O documento pede que as igrejas fiquem abertas durante as celebrações para que o ambiente seja ventilado. As visitas e a comunhão levada a pessoas doentes devem ser cercadas de cuidados especiais.
Orientações semelhantes foram feitas às 51 paróquias da Diocese de Taubaté. Nas missas, durante o Pai Nosso, os fiéis devem se abster de fazer a oração de mãos dadas, como manda a tradição. As medidas foram anunciadas depois que o número de mortes pela gripe, no município, subiu para quatro.
Outros 32 casos da doença foram confirmados. Em São José dos Campos, três pessoas morreram com a doença. Houve mortes também em Campos do Jordão e Jacareí. Em todo o Estado, até o último dia 2, tinham sido registrados 480 casos e 67 mortes causadas pela gripe.


Postado por Júnior Silva em Limoeiro/PE em sexta 19 / julho de 2019

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga