» » » Náutico fica no 0x0 com Itabaiana, pelo pré-Nordestão

Timbu segurou o 0x0 e pode vencer por placar mínimoFoto: Léo Lemos/Náutico/Divulgação                                                                   
Os primeiros 90 dos 180 minutos da decisão entre Náutico e Itabaiana/SE, valendo vaga na fase de grupos da Copa do Nordeste, terminou sem gols. A falta de entrosamento e o potencial físico ainda aquém do ideal transformaram a partida em uma batalha em que a bola esteve mais pelo alto do que rolando no gramado. Muita transpiração, pouca inspiração. Com o empate em 0x0, o Timbu precisa apenas de uma vitória mínima na partida da volta, sábado, na Arena de Pernambuco, para se classificar para a etapa seguinte.

Antes mesmo de a bola rolar, já se imaginava que o gramado do Etelvino Mendonça não proporcionaria um duelo de muito toque de bola. Por isso, Itabaiana e Náutico abusaram dos lançamentos longos e cruzamentos na área. O jogo era truncado, de muitas faltas e pouca criatividade. 

Os mandantes dominaram a partida nos primeiros 45 minutos. Em diversos momentos, a impressão era de que os sergipanos jogavam com mais peças em campo. A marcação forte não dava chances aos contra-ataques ado Timbu e, na frente, o Itabaiana explorava as costas dos volantes para aparecer na área alvirrubra. Em uma das jogadas, Léo Mineiro ficou frente a frente com Jefferson, mas mandou para fora.

Com Clebinho e Fernandinho nas pontas, além de Wallace Pernambucano se aproximando de Daniel no meio, o Náutico tentava diminuir os espaços no setor ofensivo e conseguir ao menos uma triangulação para chegar à área adversária. Falhou em quase todas as tentativas. Com a “10” nas costas, Wallace não fazia o papel tradicional que a numeração pede e esteve apagado em boa parte do jogo. O mais perto que os pernambucanos chegaram de um gol foi em um chute de Clebinho pelo alto. 

O Itabaiana intensificou ainda mais a pressão no segundo tempo. O roteiro, porém, seguia o mesmo. Sem um atleta para conduzir a bola do meio ao ataque, o Tremendão era pragmático: cruzamentos e nada mais. 

Para corrigir esse erro, o técnico Gilberto Pereira acionou o meia Salatiel no jogo. Em dois lances, o jogador quase arrancou o grito de gol da torcida. Primeiro, acertou um chute que tirou tinta da trave. Na segunda tentativa, ele parou na ótima defesa de Jefferson.

Os lampejos de lucidez do Náutico saiam com a aproximação de Clebinho e Thiago pela direita. Daniel Bueno se esforçava na frente, mas faltava um companheiro para trabalhar próximo.

A última chance do Itabaiana de tirar o zero do placar foi...pelo alto. Não adiantou insistir. Em uma noite para consagrar a zaga do Náutico, vencedora em praticamente todos os duelos por cima, o jogo de ida da pré-Copa do Nordeste ficou no 0x0. 

Ficha técnica

Itabaiana/SE 0 

Andrade; Carlos Henrique (Euzébio), Diego Bispo, Ramon e Juninho; Mica, Léo Mineiro (Salatiel), Bida (Moisés) e Eduardo; Paulinho Macaíba e Douglas. Técnico: Gilberto Pereira

Náutico 0

Jefferson; Thiago Ennes, Rafael Ribeiro, Camacho (Camutanga) e Gabriel Araújo; Negretti, Hygor, Clebinho (Wagner) e Wallace Pernambucano (Jobson); Fernandinho e Daniel Bueno. Técnico: Roberto Fernandes

Local: Etelvino Mendonça (Itabaiana/SE)
Árbitro: Luiz César de Oliveira Magalhães (CE). Assistentes: Nailton Junior de Sousa Oliveira e Armando Lopes de Sousa (ambos do CE)
Cartões amarelos: Carlos Henrique, Paulinho (I); Camacho, Daniel Bueno, Wagner (N)
Renda: R$ 22.300,00
Público: 1.094 torcedores

Fonte Folha de Pernambuco

Postado por Júnior Silva em Limoeiro (PE), em terça, janeiro 09/2018

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga