» » » INSS em Pernambuco aguarda mais de 280 mil aposentados e pensionistas para recadastramento

Quem precisa de procurador para fazer o cadastramento deve ir até as agências do INSS, como a da Avenida Mário Melo, no Recife (Foto: Reprodução/WhatsApp)                           
O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em Pernambuco alertou, nesta quarta-feira (10), que 280 mil pernambucanos ainda não participaram do recadastramento de comprovação de vida referente a 2017. O instituto informa que, diante do grande número de pessoas que estão com pendências em todo o país, o procedimento poderá ser realizado entre a quinta-feira (11) e o dia 28 de fevereiro. A falta de atualização dos dados provoca a suspensão do benefício. 
A comprovação anual de vida é um procedimento obrigatório, realizado pelo governo federal para que não haja fraudes no sistema do INSS. Em todo o Brasil, cerca de 6,5 milhões de pessoas ainda não realizaram o recadastramento.
Para realizar a comprovação de vida, o segurado deve ir a uma agência bancária em que recebe o benefício, entre as 10h e 16h, portanto um documento oficial com foto. Nos bancos em que há o serviço de biometria, o recadastramento é feito automaticamente quando o beneficiário utiliza os pontos de atendimento. 
A comprovação de vida pode ser feita, ainda, por meio de um procurador. Nesse caso, a pessoa precisa ir à sede do INSS para cadastrar os dados e apresentar um atestado médico em nome do segurado, que comprove a impossibilidade de se locomover ou o acometimento grave por uma doença infectocontagiosa.
Nas cidades em que não há agências bancárias em funcionamento, o segurado deve se dirigir ao representante bancário mais próximo. “Essa medida é adotada para garantir a transparência no atendimento e no pagamento dos benefícios. Isso faz com que somente quem tem o direito de receber o benefício, que o receba. É uma medida de caráter administrativo, que nós tomamos para evitar algum recebimento indevido ou fraude”, explica o Superintendente Substituo do INSS Nordeste, Everaldo Macedo Júnior.
Segundo o superintendente, o recadastramento anual não é feito de acordo com a data de aniversário do segurado, mas com datas específicas para cada um, que devem ser informadas pelo banco.

“Cada segurado tem um prazo diferente. Ele é feito, geralmente, pelo final de cada benefício, de 0 a 9 são os meses que o segurado vai fazer o seu recadastramento. Enquanto isso, ele não precisa se preocupar em correr para o INSS para fazer o recadastramento. O próprio banco é responsável por passar essa informação ao segurado”, explica Everaldo Macedo Júnior.

Fonte Globo.com
Postado por Júnior Silva em Limoeiro (PE), quinta, janeiro 11/2018

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga