» » » MEC dá orientações finais para o Enem

Decisão judicial sobre regra da redação foi um dos assuntos mais comentados na reuniãoFoto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil                                     
Mais de 6,7 milhões de pessoas estão inscritas para fazer a primeira parte da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que é aplicada neste domingo, a partir das 13h (horário de Brasília). E este é o primeiro ponto que o fera pernambucano deve ficar atento: devido ao horário de verão, no Estado as provas são aplicadas a partir do meio-dia. Tanto para o primeiro domingo quanto para o seguinte, o Grande Recife Consórcio de Transporte anunciou, na quarta-feira (1º), que vai reforçar a frota e o número de viagens dos ônibus da Região Metropolitana da Capital. Também ontem, em Brasília, o ministro da Educação, Mendonça Filho, e a presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini, deram as orientações finais para a aplicação do concurso, que este ano ficou mais barata, com um custo de R$ 87,54 por candidato - em 2016 custou R$ 90,64 por aluno.

O Grande Recife vai incrementar o número de viagens de 20 linhas e ativar outras três que não operam aos domingos. Dúvidas podem ser tiradas pelo telefone (0800-081-0158) ou WhatsApp (99488-3999).

A primeira parte do Enem é composta pelas áreas de ciências humanas e português - que inclui a redação. O exame dura cinco horas e meia. Os portões são abertos às 12h e fechados às 13h do horário de Brasília, ou seja, 11h e 12h no horário de Pernambuco. A segunda parte do exame (dia 12) traz as provas de ciências exatas e matemática.

Apesar do Inep ainda não haver sido notificado da decisão judicial que suspendeu a regra que determina que quem desrespeitar os direitos humanos na prova de redação pode receber nota zero, a recomendação é que os candidatos sigam as regras do edital. Ontem Mendonça Filho disse que a decisão judicial será respeitada, mas orientou os candidatos a respeitarem os direitos humanos na redação.

“A questão dos direitos humanos é básica e fundamental, até porque estamos falando em educação e não poderíamos ter uma linha de ação distante dessa realidade. Mas, ao mesmo tempo temos que cumprir a decisão judicial, que leva a possibilidade de ter zero na prova. Como cautela, diria que o melhor é se submeter ao exame e fazer a redação respeitando os critérios de direitos humanos”, recomendou o ministro afirmando que o Inep vai recorrer até a última instância. 

“Como cidadã e educadora, recomendo que os jovens reproduzam o respeito aos direitos humanos não só na prova, mas também em suas vidas”, ressaltou Maria Inês Fini.

Além de não pode fazer qualquer consulta ou receber e repassar informações sobre o conteúdo das provas durante o exame, é critério de eliminação do candidato começar a prova antes das 13h30 ou sair da sala sem acompanhamento de um fiscal depois das 13h (12h30 e 12h, respectivamente, em Pernambuco). Também não é permitido deixar o local da prova antes de completar duas horas após seu início. A eliminação do participante pode ainda ocorrer durante a realização das provas, caso ele utilize lápis, caneta de material não transparente, lapiseira, borracha, livro, manual, impresso ou anotação. Também não é permitido utilizar óculos escuros, artigos de chapelaria ou dispositivos eletrônicos.


Fonte Folha de Pernambuco

Postado por Júnior Silva em Limoeiro (PE), em sexta, novembro 03/2017

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga