» » » Delegado vai pedir que adolescente que matou a mãe permaneça internado

Suspeito, de 16 anos, foi levado para prestar depoimento na Delegacia de LimoeiroFoto: Cortesia/ Whatsapp                                                   
O delegado da Polícia Civil de Pernambuco, José Raimundo Barbosa, responsável pelas investigações do assassinato de uma mulher pelo próprio filho, menor de idade, vai pedir ao Ministério Público que o adolescente permaneça na Fundação de Atendimento Sócio Educativo (Funase), no Recife, onde já está internado. A identidade da vítima é preservada devido à menoridade do suspeito. O velório ocorreu no último dia 26, no cemitério público de Orobó, no Agreste de Pernambuco, onde aconteceu o crime.

O adolescente, de 16 anos, confessou ter matado a própria mãe na última terça-feira (24). Em depoimento, o menor disse que estava sob efeito de drogas. "Ele já tinha passagem pela polícia por agredir a mãe e ficou 45 dias internado por esse motivo. Ele precisa ficar interno para que seja ressocializado, até porque a avó dele (mãe da vítima) não o quer de volta em casa", comentou o delegado.

O exame tanatoscópico (que detecta a causa da morte) tem 30 dias para ficar pronto, mas sabe-se que a vítima, de 37 anos, foi esganada com a alça de uma bolsa pelo menor. De acordo com a Delegacia de Orobó, o corpo da mulher foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) do Recife e não tinha perfurações de faca ou bala, mas uma marca no pescoço.

Segundo informações da Polícia Civil, o rapaz chegou a avisar a avó que a mãe estava passando mal, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas a mulher já estava morta, em casa. "O Gati (Grupo de Apoio Tático Itinerante) estava por perto e chegou rápido. Quando os policiais entraram na casa, ele (o suspeito) estava mexendo no celular e não reagiu ao ser levado", relatou Soares. O rapaz, que é filho único da vítima, chegou a postar uma mensagem para a mãe das redes sociais após a morte.

A vítima
A mulher era natural de Orobó, havia morado em São Paulo, mas voltou ao município depois que ficou desempregada. Ela estava trabalhando na unidade de saúde local como auxiliar de serviços gerais.

Fonte Folha de Pernambuco

Postado por Júnior Silva em Limoeiro (PE), em quarta, novembro 01/2017

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga