» » » Náutico perde para CRB e se afunda ainda mais na lanterna da Série B

Náutico x CRBFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco                            
Mais um jogo, mais uma derrota. A paz alvirrubra, pelo visto, está apenas no ambiente político. No futebol, o clube vive um inferno astral na Série B 2017. Diante do CRB, na noite desta sexta (30), na Arena de Pernambuco, a equipe acumulou mais um tropeço, chegando ao 11º jogo sem vitória na competição. O placar de 1x0 para os alagoanos é mais um para a lista de decepções temporada. O Timbu não reage e adia o que, pelo visto, não virá nem tão cedo: uma reação.

Com a pior média de público da competição, o Náutico fez uma promoção de ingressos para atrair mais torcedores ao estádio. A estratégia funcionou. O apoio das arquibancadas movia o time. Talvez tenha sido isso que fez o zagueiro Breno se empolgar e partir para o ataque em uma arrancada que culminou no cruzamento perfeito para Vinícius. A cabeçada foi boa, mas a defesa de Edson Kolln foi espetacular. A resposta do CRB veio minutos depois. Chico aproveitou rebote de escanteio e mandou uma bomba que assustou os alvirrubros. Zé Carlos também tentou de longe, parando em Tiago Cardoso.

Em um jogo equilibrado, qualquer lance que saia do trivial tem potencial para decidir a partida. Erick, como sempre, era a válvula criativa dos mandantes. O camisa 33 deu ótimo passe para Manoel, livre de marcação, soltar uma bomba que tirou tinta da trave.
Sem muita velocidade e com diversos erros de passe, o jogo foi caindo de qualidade no final do primeiro tempo. O Timbu esbarrava novamente na dificuldade em articular as ligações entre meio-campo e ataque. 

Disparado o melhor jogador do Náutico, Erick estava merecendo desencantar na Segundona. E o atacante não conteve a euforia quando acertou um chute no ângulo, fazendo um golaço. A comemoração, contudo, foi breve. O bandeirinha anulou o lance.
O nervosismo tomou conta dos alvirrubros. O CRB, por outro lado, mostrou que a tranquilidade em momentos de definição pode fazer a diferença entre uma vitória e uma derrota. O experiente Zé Carlos aproveitou bobeira da marcação, entrou na área e tocou de leve para abrir o placar na Arena.

A esperança de uma reação nos minutos finais esbarrava na triste realidade. Fica difícil sonhar com uma mudança ao ver que o Náutico repete os mesmos erros a cada rodada. A lanterna não é o pior dos problemas do clube. A falta de reação, sim. O Timbu não somente caminha para o rebaixamento, como também está próximo de ter o pior rendimento de um clube na história dos pontos corridos da Série B. 

Ficha do Jogo

Náutico 0

Tiago Cardoso; David, Breno, Aislan e Manoel; Amaral, Darlan e Giovanni (Esquerdinha); Erick, Vinícius (Iago) e Gilmar(Gerônimo). Técnico: Beto Campos

CRB 1

Edson Kölln; Edson Ratinho, Flávio Boaventura, Adalberto e Diego; Adriano (Audálio), Yuri, Danilo Pires e Chico; Erick Sallesc (Neto Baiano) e Zé Carlos (Elvis). Técnico: Dado Cavalcanti
Local: Arena de Pernambuco (São Lourenço da Mata)
Árbitro: Devarly Lira do Rosario (Es). Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Carvalho Van Gasse (ambos de SP)
Gols: Zé Carlos (aos 23 do 1°T)
Cartões amarelos: Manoel; Edson Ratinho, Neto Baiano (C); 
Público: 4.289 torcedores
Renda: R$ 32.035,00

Fonte Folha de Pernambuco
Postado por Júnior Silva em Limoeiro (PE), sábado, julho 01/2017

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga