» » » Conselho aprova verba de R$ 1,5 milhão para quitar salários e ajudar na reforma dos Aflitos

Aflitos será beneficiado com verba de R$ 1 milhão     Foto: Leo Motta/Folha de Pernambuco      
O Conselho Deliberativo do Náutico aprovou, na noite da última segunda (15), o repasse de R$ 1,5 milhão de recursos advindos de antecipação de receitas futuras para ajudar na reestruturação financeira do clube. O pedido foi feito pela Diretoria Executiva. A ideia é amortizar parte do débito do Timbu com os funcionários. Além disso, o valor também será destinado ao pagamento de uma parcela atrasada do Profut, às reformas do estádio dos Aflitos (custando aproximadamente R$ 1 milhão) e, por fim, para dar entrada em uma ação contra a Odebrecht por conta da quebra de contrato com a Arena de Pernambuco.

O recurso será pago parceladamente nos próximos anos pelo Executivo. Na última reunião do CD foi aprovada a solicitação do dinheiro, mas com uma ressalva: ele deveria ter uma destinação específica, voltada para geração de nova renda. A intenção do Deliberativo é “não causar aos próximos gestores uma dívida sem retorno e tornar o clube difícil de ser administrado futuramente”. 

“Reconhecemos a atual dificuldade financeira do clube, mas é preciso lembrar que a inadimplência foi causada por má administração financeira. Gastou-se muito mais do que tinha, essa é a verdade. E se deixarmos que essa antecipação sirva apenas para pagar débitos, como a gestão quer, nós estaremos ajudando a cavar um poço sem fundo, gastando hoje o dinheiro que fará falta nos próximos anos. Por isso eu defendo que grande parte do dinheiro seja destinada para financiar a volta aos Aflitos e a ação contra a Arena, que vão gerar mais recursos para o Náutico”, defendeu o conselheiro Éden Teobaldo.

Sobre a reforma dos Aflitos, Teobaldo ressalva a importância da recuperação do estádio para auxiliar em um crescimento na receita de bilheteria do Náutico. 
“Vamos voltar para casa. O maior patrimônio do Náutico é sua torcida, e o maior patrimônio da torcida é a nossa casa, o Eládio de Barros Carvalho. É nele que a gente vai construir o futuro do Clube. Teremos de volta o Caldeirão dos Aflitos lotado nos jogos, criando receita de bilheteria. O estádio recuperado também terá outras fontes geradoras de renda. É viável economicamente para o Náutico, e é fundamental para a torcida. O Conselho acertou ao destinar verba para nossa Casa”, concluiu. 

Odebrecht

Com relação á ação movida contra a Odebrecht, o Náutico exige uma indenização pelo rompimento de contrato com o Consórcio que administrava a Arena, que ocorreu em abril do ano passado. O Timbu alega que a decisão foi unilateral.

Fonte Folha de Pernambuco
Postado por Júnior Silva em Limoeiro (PE), terça, maio 16/2017

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga