» » » Professores de Pernambuco decretam greve por tempo indeterminado

Assembleia dos professores aconteceu na Praça Oswaldo Cruz, na região central do Recife (Foto: Thays Estarque/G1)      
Professores de Pernambuco decretaram greve por tempo indeterminado em assembleia nesta quarta-feira (15), realizada no Recife. A decisão integra uma série de manifestações contra a reforma da Previdência. Os docentes fazem uma caminhada pela região central do Recife junto a outras categorias, também contra a proposta do governo federal.
De acordo com a Central Única dos Trabalhadores (CUT), uma das organizadoras do protesto pelas ruas do Recife, cerca de 35 mil pessoas participam do ato, por volta do meio-dia. A Polícia Militar não divulgou números.
A assembleia aconteceu na Praça Oswaldo Cruz, no bairro da Boa Vista, área central da capital e contou com a participação de professores do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe), Sindicato dos professores do estado de Pernambuco (Sinpro), Sindicato dos Professores do Recife (Simpere), Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Jabotão dos Guararapes (Sinproja), Sindicato dos professores do Cabo de Santo Agostinho (SINPC), Sindicato dos Professores em Educação do Moreno (Sinpremo) e Sindicato de Professores da Rede Municipal de Olinda (Sinpmol).
Segundo o Sintepe, a greve das categorias tem começo imediato. "Esse ato mostra a preocupação da categoria com essa reforma. Mais uma vez o trabalhador vai tem que pagar a conta do governo", acredita o presidente do Sintepe, Fernando Melo.
Presidente do sindicato dos professores de Olinda, Wildson Cruz afirma que a greve é a forma que a categoria encontrou de lutar contra a reforma. "É muito importante o professor integrar essa reivindicação contra a reforma da Previdência porque somos nós que educamos a população. Somos responsáveis pela educação desse país. Imagina só, um professor que começa a trabalhar aos 29 anos só vai poder se aposentar aos 79. Não tem como esse professor controlar uma turma de adolescentes com essa idade. Por isso chamamos de PEC da Morte", pontuou .
G1 entrou em contato com a Secretaria de Educação de Olinda, do Recife, de Jaboatão dos Guararapes e do Cabo de Santo Agostinho e aguarda resposta. A Secretaria de Educação de Pernambuco informou, por meio de nota, que "não foi comunicada, oficialmente, sobre decisão de greve da categoria de profissionais da educação" e, sendo assim, vai aguardar o comunicado para poder emitir posicionamento.

Fonte Globo.com
Postado por Júnior Silva em Limoeiro (PE), quarta, março 15/2017

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga