» » » Estado ainda tem 15 municípios com serviços prejudicados após assalto a bancos, diz Procon-PE

Reunião ocorreu na sede do Procon-PE, localizado no Centro do Recife, e demorou cerca de uma hora (Foto: Thays Estarque/G1)          
Dos 184 municípios, 56 foram alvos de assaltos a bancos ao longo de 2016 e no início deste ano. Em 15 dessas cidades os serviços bancários seguem prejudicados e há, até, agencias que não voltaram a funcionar mesmo um ano após a ação dos bandidos. Os dados foram repassados pelo Procon-PE e fazem parte de uma investigação do órgão.

Diante disso, o órgão de defesa do consumidor teve uma reunião com representantes de cinco instituições bancárias nesta sexta-feira (17). O que deveria ser um encontro de respostas práticas e rápidas, resultou em mais prazos. A reunião ocorreu na sede do Procon-PE, localizado no Centro do Recife, e demorou cerca de uma hora. O secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, explicou que os prefeitos o procuraram preocupados com a situação.
“Não é só a questão dos serviços, mas da segurança também porque tem casos de pessoas se deslocando 60 quilômetros até uma agência mais próxima, em outra cidade. Essas pessoas que estão lá na ponta são, geralmente, aposentados e pensionistas. É toda uma população que está sendo prejudicada”, pontuou.
Ao fim, ficou acordado que o Banco do Brasil, Bradesco, Santander, Itaú e Caixa Econômica terão 72 horas para apresentarem prazos para reestabelecer todos os serviços por completos. Eles ainda terão que explicar se estão cobrando taxas aos correntistas, mesmo com as agências fechadas. Se sim, deverão devolver o dinheiro. O plano de segurança das unidades também deverá constar no documento com todos os mecanismos já usados e a proposta de adoção de novos.
Propostas apresentadas, o Procon-PE enviará um Termo de Ajustamento de Conduta. As instituições contarão com 10 dias úteis para analisar o texto e, se aprovado, encaminhar assinado. Quem não se ajustar estará sucessível a pagar uma multa que varia entre R$ 652 a R$ 7 milhões.
“A multa vai depender do Termo de Ajustamento de Conduta. Ela, inclusive, para nós, é secundária. O essencial é a reabertura das agências. Agora, se não houver essa abertura, evidentemente, que vamos julgar esse processo como administrativo. Esse processo ficará suspenso até a conclusão da assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta”, destacou o secretário.
Durante a reunião, as instituições comentaram o que estavam fazendo para retomar o sistema na sua totalidade. O Banco do Brasil reafirmou o compromisso em reestabelecer o serviço o mais rápido possível. Ele é o banco que mais sofreu com ações criminosas desde a onda de assaltos e explosões de agências, segundo o Procon.
O Bradesco seguiu a intenção do Banco do Brasil e ressaltou que tem 13 unidades fechados no estado. Porém, adiantou que investirá no sistema de marcar a cédula caso o caixa eletrônico for corrompido. O Santander explicou que das mais de 60 agências distribuídas em Pernambuco, 16 foram atacadas, mas que em todas as atividades já foram retomadas.
Já o Itaú alegou que não foi alvo das investidas dos bandidos, mas assumiu o compromisso de entregar seu plano de segurança. Por sua vez, a Caixa Econômica disse que tem duas unidades ainda fechadas, uma em Buíque e outra em Bonito. Ela garantiu que ambas voltam a funcionar na segunda-feira (20).

Fonte Globo.com
Postado por Júnior Silva em sexta, fevereiro 17/2017

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga