» » » Grafite brilha, mas o Santa Cruz é eliminado da Sul-Americana

Flávio Japa/Folha de Pernambuco                       
O script estava sendo escrito de forma perfeita para os tricolores. Desvantagem aniquilada após o primeiro tempo, e três gols de diferença contra o Independiente Medellín até metade da segunda etapa. O responsável por toda a construção dessa história, o até então criticado Grafite – que não balançava as redes há três meses. Mas quis o destino que uma nova falha de goleiro decretasse o adeus tricolor à Copa Sul-Americana, no fim da noite desta quarta-feira (28), no estádio do Arruda. Sem Tiago Cardoso, dessa vez com Edson Kolln. Um 3x1 doloroso, mas que mostrou a força coral, agora, para a Série A. 

Não havia outra receita para que esperança na classificação se mantivesse viva: era necessário encurralar o Independiente Medellín desde os primeiros minutos de jogo. Uma vantagem de 2x0 teria de ser quebrada. E como o Santa Cruz foi perfeito em deixá-la no passado. Ao final do primeiro tempo, os atletas da equipe colombiana pareciam terem sofrido um atropelamento. Ao todo, 60% de posse de bola tricolor, seis chutes ao gol e dois tentos convertidos. O sonho ia virando realidade.

Ele só foi possível, no entanto, por conta da participação de um jogador em especial. Logo ele, que há tempos não sabia o que era marcar gols. Para ser mais exato: três meses e 13 jogos. Mas Grafite foi fatal. O primeiro aos 13 minutos, ao cabecear uma bola vinda de uma cobrança de falta de João Paulo. O 2x0 aconteceu aos 30, após cruzamento de Pisano e novo cabeceio do Camisa 23. Poderia ter sido três, se não fosse o zagueiro Mosquera, que tirou a bola em cima da linha.

Na volta para o segundo tempo, o Santa Cruz foi mais cauteloso. Afinal era necessário apenas mais um gol para a classificação. Por outro lado, um gol adversário deixaria a vaga para os colombianos. Aos 25 minutos, o gol do “eu acredito” tricolor. Léo Moura virou a bola para Keno e ele deixou Grafite livre para fazer 3x0. A festa, no entanto, durou apenas seis minutos. Isso porque Ibarguen fez o gol que eliminaria as chances corais. Cruzamento na grande área, e Edson Kolln falhou na saída. Os corais pediram falta, e o Independiente Medellín ficou com a vaga.

FICHA DE JOGO

SANTA CRUZ

Edson Kolln; Léo Moura, Neris, Danny Morais e Allan Vieira (Jadson); Uillian Correia, Derley (Bruno Moraes), João Paulo e Pisano (Mazinho); Keno e Grafite. Técnico: Doriva

INDEPENDIENTE MEDELLÍN

González; Piedrahita (Christian Marrugo), Mosquera, Arias e Valencia; Moreno, Cabezas, Córdoba e Arias (Ibarguen); Molina e Caicedo. Técnico:Leonel Álvarez

Local: Estádio do Arruda, no Recife
Horário: às 21h45
Árbitro: José Argot (VEN)
Assistentes: Luis Sanchez e Francheskoly Chacon (ambos da VEN)
Gols: Grafite (aos 13 e aos 30 do 1ºT e 25 do 2ºT); Ibarguen (aos 31 do 2ºT)
Cartões amarelos: Piedrahita, Arias (Independiente Medellín); Grafite (Santa Cruz)
Público: 5.474
Renda: R$ 67.335,00
Postado por Júnior Silva em quinta, setembro 29/2016

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga