» » Polícia encontra pertences de família vítima de golpe na terça

Ed Machado/Folha de Pernambuco                       
O drama começou quando, por meio de uma ligação, um criminoso afirmava ter sequestrado a mãe da adolescente de 13 anos e exigia o pagamento de resgate para liberar a mulher. O suspeito pedia que a garota pegasse as joias da casa e levasse para um ponto de encontro. A menina pegou o material e, sem desligar o telefone, foi até o Shopping Recife para tentar vender os pertences.
Durante a ação, o suspeito possivelmente já tinha conhecimento que não se tratavam de joias de ouro. Por conta disso, orientou a adolescente a entregar o material 'ao primeiro mendigo que visse na rua', segundo informou o delegado de Boa Viagem, Carlos Couto.
Enquanto a adolescente foi ao ponto de encontro, outra pessoa ligou para a mãe dela como se a menina tivesse sido sequestrada. De acordo com o delegado, o que facilitou a ação dos bandidos foi a captação de informações passadas pela garota. "Ela falou o local onde estava, o bairro, o nome e telefones dos pais. Tudo isso tornou o golpe mais verossímil quando outro suspeito ligou para a mãe da garota", informou. "Nessa segunda ligação, o criminoso já tinha vários elementos para fazer com que ela acreditasse que a sua filha havia sido realmente sequestrada."
Alerta
Em mês de férias, quando crianças e adolescentes podem passar mais tempo em casa, o delegado lança um alerta: "Esse golpe tem se popularizado e todo mundo ou já sofreu ou conhece alguém que já tenha sofrido esse tipo de ação criminosa", conta o delegado. "Sempre desconfie de ligações de prefixos de outros estados, números desconhecidos e nunca passar nenhum tipo de informação, como dados pessoais, nomes ou endereços, mesmo que pareça uma ligação de operadora de cartão de crédito."

Ed Machado/Folha de Pernambuco

Entenda o caso

A adolescente estava em casa quando recebeu uma ligação por volta das 12h50 da terça-feira. "Na chamada, possivelmente originada de presídios na região Sul-Sudeste, o suspeito dizia que mantinha a mãe dela como refém e que não poderia desligar, senão ela seria morta", disse o delegado.
Ainda segundo Couto, a mãe acreditou "piamente" que se tratava de um sequestro. "Ela pensava até em se desfazer de um veículo para fazer um depósito bancário. Os suspeitos haviam exigido R$ 15 mil para 'liberar' a adolescente."
Foi instaurado um inquérito para apurar a tentativa de estelionato. Entretanto, o delegado acredita que a identificação dos suspeitos pode ser prejudicada porque o número telefônico e o aparelho podem estar ligados a terceiros ou mesmo laranjas, algo comum nesse tipo de golpe.
A história terminou quando a garota ligou para a mãe, pouco antes das 18h, e informou que estava na casa de uma vizinha. A mulher, então, foi com os policiais para o local e constataram que a adolescente estava bem e não havia sido sequestrada e que toda a história não passava de uma tentativa de golpe.
Postado por Júnior Silva em quarta, julho 13/2016

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga