» » » » Cidades do Sertão voltam a receber água pela torneira após anos de carros-pipa

                                                                                                                                                                                Barragem Mãe D'Água. Foto: Compesa/Divulgação

Municípios do Sertão de Pernambuco saíram do colapso após as chuvas que caíram sobre a região na última semana de março. Os moradores de Brejinho e Itapetim e o distrito de Borborema, em Tabira, estão voltando a receber água pela rede de distribuição da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). São José do Egito também foi agraciado pelas chuvas e terá seu abastecimento ampliado até maio.

De acordo com a Compesa, isso só foi possível porque diversos mananciais que estavam totalmente secos represaram água, alguns até transbordaram. A companhia estima que o volume de água acumulado supra a demanda de abastecimento nessas cidades por até três anos, caso não volte a chover nesse período.

Em Brejinho, a água voltou às torneiras na última terça-feira após um ano de abastecimento apenas por carros-pipa. As duas barragens que atendem o município, Serraria e Mãe D’Água, conseguiram juntar, respectivamente, 17,6% e 100% de seus volumes. Situação parecida em Itapetim, onde o abastecimento vai retornar após quase três anos de colapso total. O manancial de Boa Vista está com 51% de sua capacidade total de 1.632 milhões de m3 e a barragem de Caramucuqui encheu completamente. Lá, a Compesa está fazendo a manutenção da rede de distribuição de água para iniciar o atendimento em até 15 dias. Outro local que está dispensando os carros-pipa é o distrito de Borborema, em Tabira. A barragem de Travessão, que entrou em colapso em fevereiro, conseguiu reter 30% de seu volume de água. Segundo a Compesa, o abastecimento deverá voltar ao distrito até o próximo fim de semana, seguindo o esquema de três dias com água para cinco sem água.

As chuvas da última semana também deram mais tranquilidade às localidades que estavam em situação crítica. Em São José do Egito, a recuperação dos mananciais São José I e São José II, com volumes acumulados de 50% e 37,6%, respectivamente, vai permitir que até 80% da cidade fiquem fora do rodízio a partir de maio. A cidade, que também recebe água da Adutora do Pajeú, tem áreas onde a rede de distribuição ainda precisa ser modernizada, por isso esse índice não chega, agora, aos 100%. Nas áreas que ficarão com rodízio, o calendário será de quatro dias com água para quatro sem água. A Compesa ainda vai divulgar os detalhes desse calendário em meados de abril.

Índice pluviométrico
De acordo com informações da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), somente no mês de março choveu 262,5 milímetros na cidade de Itapetim, mais que o dobro das chuvas registradas no mesmo período em 2015. Destaque também para o município de Brejinho, que registrou o maior índice de chuva acumulada no mês de março, atingindo, 335,3 milímetros.

Postado por culturalfm96.com em segunda, abril 11/2016

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga