» » Ideologia e comércio em protesto na Avenida Boa Viagem

Vendedor Carlos Lima aproveitou as sobras do carnaval e Copa do Mundo para vender no protesto (Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco)
Os manifestantes que foram às ruas neste domingo (13) viram nos protestos de rua não só uma forma de protestar contra o governo, mas também uma oportunidade de comércio. Bandeiras, faixas, cornetas, pixulecos, camisetas, perucas e diademas foram vendidos em diversos pontos da Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife.
Defensor da saída de Dilma Rousseff (PT), o vendedor Carlos Lima aproveitou o estoque que sobrou da Copa do Mundo e do carnaval para vender nas manifestações deste domingo. “Vim para vender e protestar. Sou contra a corrupção”, criticou. Bandeiras (R$ 10) e faixas (R$ 5) para a cabeça eram os itens mais vendidos. Segundo o comerciante, a saída foi maior que outros eventos que trabalhou. “O pessoal protesta muito. E, aqui, o povo gosta muito de sair para protestar enfeitado”, destacou
Simpatizante do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-SP), o soldador naval Richard Eduardo não quis somente manifestar seu apoio ao político e ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) na Avenida Boa Viagem, mas também vender camisetas do parlamentar na orla. Defensor da candidatura presidencial do ex-militar, ele vendia cada unidade por R$ 15 reais. “Sou à favor da cassação e novas eleições. Se tivesse outra votação, ele (Bolsonaro) era meu candidato”, garantiu.
 Soldador Richard Eduardo vendeu camisas em apoio ao deputado Bolsonaro (Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco)
Uma barraca com camisetas denominadas de Vem Pra Rua com Humor eram vendidas por R$ 20 reais e ironizavam a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O próprio Movimento Vem Pra Rua comercializou bandeiras e os chamados pixulecos, bonecos infláveis de Lula como presidiário.
Manifestantes compraram materiais em apoio ao protesto contra Dilma e o PT (Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco)
As vendas, segundo os organizadores, eram para bancar as despesas da manifestação que contou com trios elétricos e trabalhadores na organização do ato. O maior sucesso foram os pixulecos que acabaram antes do encerramento das manifestações.
Postado por culturalfm96.com em domingo, março 13/2016

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga