» » Chefe do Estado Islâmico na Síria estaria clinicamente morto


Imagem divulgada pelo meio de comunicação jihadista al-Itisam em junho de 2014 mostra membros do Estado Islâmico, incluindo o líder militar Abu Omar al-Shishani, em um local desconhecido entre a província iraquiana Nínive e a cidade síria de al-Hasakah (Foto: Al-Itisam Media/HO/via AFP)


Um dos chefes militares do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), "Omar, o checheno", está "clinicamente morto" depois de ser atingido em um bombardeio aéreo contra seu comboio, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).
O OSDH, que conta com uma vasta rede de informantes, afirma que ele "se encontra clinicamente morto e respira apenas com a ajuda de vários aparelhos" em um hospital a leste da província de Raqa, reduto do grupo EI no norte da Síria.
Em 8 de março, um alto funcionário americano afirmou que Omar provavelmente teria morrido junto a outros 12 combatentes do grupo jihadista no bombardeio americano de 4 de março, no nordeste da Síria.
O OSDH informou na ocasião que Omar estava gravemente ferido.
"Omar, o checheno", apelido de Tarjan Tayumurazovich Batirashvili, tem nacionalidade georgiana, segundo o Pentágono.
Conhecido por sua espessa barba ruiva, Omar ocupou vários postos na cúpula da organização militar do EI, segundo a mesma fonte.
Sua eliminação afetaria a capacidade d EI de recrutar combatentes estrangeiros, especialmente na Chechênia e no Cáucaso.

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga