» »Unlabelled » Festival Canavial torna Limoeiro como a "Terra dos Caboclinhos"


Em Limoeiro, a cultura popular foi destaque mais uma vez! Dos dias 27 a 28 de fevereiro, os Bois Caboclinhos ganharam toda a atenção, onde mais de 15 folguedos populares mostraram a alegria e a tradição se mantêm viva, e se depender dos brincantes será para sempre. No centro da Avenida Severino Pinheiro, foi montado o palco principal que aportou o Festival Canavial com o tema raízes em movimento, que nesta edição, homenageou a Maria Budi, Chico Simões, Cleonice Maria e Anildomá Willams. Bois, frevo, maracatu, coco de roda e até o Forró tomaram conta da principal avenida da cidade.

Durante o festival, o Galpão das Artes foi palco do I Seminário sobre Política Cultural e Cultura Popular, onde recebeu dezenas de produtores culturais e fomentadores de arte que discutiram sobre a atual situação do “fazer arte” e o incentivo cultural. Através de debates, também foram discutidos assuntos pertinentes a continuidade na luta pela valorização da cultura popular brasileira, em especial a pernambucana. No Galpão, também houve a realização de um encontro dos Pontos de Cultura de Pernambuco.
Na noite do dia 27, os bois trouxeram todo o seu brilho, colorido e entusiasmo. Personagens e folguedos folclóricos bem conhecidos pelo público, tornaram-se uma atração à parte, onde Calús, Mateus, Catirinas, La ursas, Morto Carregando Vivo e muitos outros fizeram uma linda festa. O Boi Caboclinho é derivado do Bumba-Meu-Boi, que é uma manifestação cultural do povo nordestino. Numa espécie de tourada, valentes caboclos e outros personagens duelam contra o Boi. Outro destaque são os “saltos mortais múltiplos” dos caboclos trajados em luxuosas fantasias de penas de aves coloridas.

Para o limoeirense, Francisco Pereira, 56 anos, o momento foi de muita emoção onde relembrou parte de sua infância e de antigos carnavais. “Como foi lindo e emocionante ver todos esses bois se apresentando. Ainda me lembrou, quando jovem, que brincava em frente de casa de La Ursas e tinha muito medo do chicote da Calú e da bexiga do Mateu. A Prefeitura está de parabéns em possibilitar revivermos esses momentos. Isso é cultura de verdade”, disse emocionado Francisco.

Além de apresentações dos folguedos, o palco principal do festival contou com participação da orquestra de frevo Zezé Correia (Upatininga/PE), e logo após, a cantora alagoana Roberta Aureliano não deixou ninguém parado ao som do melhor da música nordestina. O Festival Canavial é uma realização do Maracatu Estrela de Ouro e Associação Canavial em uma parceria com a Prefeitura de Limoeiro e Ministério da Cultura, que ainda, conta com o patrocínio da Petrobras.

Fotos Valdir Gomes | DI.PML

Postado por culturalfm96.com em segunda, fevereiro 29/2016

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga