» »Unlabelled » Polícia Federal apreende R$ 85 milhões em empresa de segurança que fazia câmbio clandestino


A Polícia Federal apreendeu cerca de R$ 85 milhões na segunda fase da operação Grande Truque, que investiga uma organização criminosa internacional de doleiros suspeita de executar atividades financeiras. Na ação da última quarta-feira (21), o gerente de uma empresa de segurança de valores situada na Estância, Zona Oeste do Recife, foi autuado em flagrante pelo crime de instituição financeira clandestina, caso seja condenado, poderá pegar pena de até quatro anos de reclusão.
O gerente pagou uma fiança de R$ 1.576 e foi liberado após passar por exames no Instituto de Medicina Legal (IML). O homem de 46 anos que não teve a identidade revelada irá responder ao processo em liberdade.
Do dinheiro apreendido, R$ 25 milhões estavam em espécie, e mais de R$ 60 milhões estavam em moedas estrangeiras, como dólares americanos, australianos e canadenses, francos suíços, libras esterlinas, euros, ienes, pesos argentinos, chilenos, mexicanos, colombianos e uruguaios, randezar, iuans, coroas norueguesas, dinamarquesas e suecas. Também foram apreendidos documentos, mídias de computador, planilhas e material de informática que passarão por perícia técnica com o objetivo de subsidiar as investigações que estão em andamento.
No curso da investigação, a PF constatou que a empresa de segurança de transporte de valores promovia operações de câmbio nas suas dependências a pedido de instituições financeiras brasileiras. Agora, a PF investiga se essas operações financeiras estão devidamente registradas na contabilidade oficial, bem como se a empresa de segurança continua atuando à margem da lei ao desenvolver atividades típicas de instituição financeira sem autorização do Banco Central. A mesma empresa já havia sido autuada pela Federal por conduta ilícita com pena prevista de encerramento das atividades.
Os R$ 60 milhões em moeda estrangeira foram encaminhadas para o Banco Central com o objetivo de serem custodiadas, e para os valores em espécie de R$ 25 milhões foi feito um termo de fiel depositário para o representante da empresa, cujos valores ficarão sob sua responsabilidade até decisão superior da Justiça Federal.
A operação Grande Truque teve a primeira fase realizada em abril de 2014. Na ocasião, a PF apreendeu o equivalente a mais de R$ 22 milhões em uma empresa de segurança de transporte de valores com filial no Recife, a fim de averiguar a procedência da quantia, bem como computadores, para análise das movimentações de câmbio em seu interior. As buscas foram cumpridas em três pontos, sendo dois na capital pernambucana (empresa de segurança e transporte de valores e uma loja localizada no Aeroporto Internacional dos Guararapes) e um banco em São Paulo.
Fonte folha de pernambuco
Postado por culturalfm96.com em quinta, outubro 22/2015

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga