» »Unlabelled » Médicos residentes do Estado realizam ato público, nesta quarta-feira

Geraldo Moreira/Rádio Folha
Residentes criticam precariedade na saúde no Estado

O secretário executivo da Casa Civil de Pernambuco, Marcelo Canuto, recebeu uma comissão de médicos residentes do Estado, que realizaram um protesto contra a precariedade da saúde pública, na manhã desta quarta-feira (22). O grupo se concentrou no início da manhã em frente ao Hospital Universitário Oswaldo Cruz da Universidade de Pernambuco (HUOC/UPE), no bairro de Santo Amaro e seguiu em caminhada até o Palácio do Campo das Princesas, na Praça da República com o objetivo entregar um documento com as reclamações da categoria ao Governo. 
De acordo com os manifestantes há mais de dez anos que os hospitais da UPE, em especial o HUOC, têm dificuldade de manter os serviços em pleno funcionamento, devido à falta de repasse de verbas pelo Governo do Estado.
Para os residentes, o desabastecimento de medicamentos para o tratamento de câncer do HUOC teria agravado ainda mais a insatisfação da categoria. Segundo Marcos Villander, médico residente e coordenador do movimento, a situação chega a ser “insustentável”.
O grupo, formado por residentes do HUOC, do Pronto-Socorro Cardiológico de Pernambuco (Procape), do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam) e ainda por estudantes que se especializam no Hospital do Câncer, além de representantes da Associação Nacional dos Médicos Residentes, também critica a falta de investimentos para as unidades de saúde.
Devido ao movimento, que paralisou as atividades dos residentes nas unidades de saúde, o atendimento em ambulatórios ficou prejudicado na manhã desta quarta-feira (22) e só será normalizado nesta quinta-feira (23). Já os médicos concursados trabalham normalmente.
Pacientes que tentavam se consultar no HUOC também apoiam o ato público. O aposentado Reginaldo Oliveira da Silva, de 66 anos, afirma que desde o início do mês tenta, sem êxito, receber o medicamento Zoladec (10mg), utilizado para o tratamento do câncer de próstata. Outros pacientes denunciam ainda a falta de material básico, como papel ofício para a impressão de guias e outros documentos.
O ato público também recebe o apoio do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe).
Por meio de nota, a direção do Hospital Universitário Oswaldo Cruz da Universidade de Pernambuco (HUOC/UPE) declarou estar sensibilizada com a causa e esclareceu que a unidade sofreu uma crise de desabastecimento de insumos farmacêuticos e hospitalares, que resultou em prejuízo a assistência médica nas últimas semanas. A instituição informou ainda que a unidade hospitalar recebeu um repasse financeiro do Estado, oriundo de recursos federais do SUS, que mantém a unidade, na última sexta-feira (17), em torno de R$ 4,9 milhões e que as ações administrativas já foram tomas para reposição dos estoques, respeitando-se os prazos legais. A expectativa da gestão do Huoc/UPE é de que a situação esteja regularizada em poucos dias, inclusive com o aumento das atividades do bloco cirúrgico.
Fonte : folha de pernambuco
Postado por culturalfm96.com ás quarta, julho 22/15

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga